Sunday, July 15, 2012

De dois males, o menor

Pedaços de papeis mastigados
Outros apenas rasgados
Olhando atentamente
Parecem ser jornais
Levados pelo vento
Fogem antes de se puder ler algo neles
Mas um pedaço preso no amontoar de lixo
Assinala novidades de dez anos atrás
2050, data em que tudo começou a mudar

Resolveram a pobreza mundial
Não havia mais fome, não havia mais sede
Progresso da ciência erradicou as doenças
O luxo fazia parte do quotidiano

Tudo começara a mudar
Mas não a mentalidade das pessoas
As ruas outrora habitadas por vagabundos
Pedintes, pessoas do povo, os menos afortunados
Agora estavam povoadas pelo fedor
Nuvens tóxicas, águas castanhas, decomposição

As cidades depressa tornaram-se desertas
Incapazes de suster a ganância de seus habitantes
Estes formaram Metrópoles Colossais
Fortalezas com acesso cortado ao mundo exterior
Entre Doutores e Majestades
O dinheiro abundante comprara a todos um título de renome
A alta sociedade, a perfeita sociedade, estava disponível a todos os cidadãos
Varrer as ruas tornou-se um tabu
Todos tinham qualificações a mais para aquele emprego de baixo nível
Todos estavam encadeados pelo brilho de Sol em forma de barras de ouro

O planeta tornara-se numa lixeira mundial
Prisioneiros da sua riqueza
Os humanos viviam em fortalezas seladas
Quarentena total por tempo indeterminado
Mais do que o lixo que defecava os muros exteriores
Temiam com toda a arrogância e altivez
Os ares de outrora de pobreza e humildade
O reconhecimento de Doutores e Majestades
Destruíram o planeta na sua soberba
Perante eles, deitam-se no chão com vénias excessivas
Mas os varredores de ruas eram o incomodo da sociedade
Ninguém olhava para eles, ninguém queria ser como eles
Agora, apenas eles poderiam salvar o mundo
Mas todos são bons demais para tal função
Então o mundo morre ás mãos da inercia do homem
As ruas das cidades moribundas, eram um reflexo do coração podre da humanidade
O Homem fez a sua escolha, para não viver na pobreza material, decidiu viver na podridão espiritual
De dois males, o menor.

No comments:

Post a Comment