Monday, May 11, 2015

Do Outro Mundo Ninguém Fala

E essa coisa de Falecer
Parece que toda a gente adere a isso
É mandatório, decreto lei e normal social
Se não o fizeres, és excêntrico, fora-da-lei, acólito do Diabo
Daquelas vaidades tais, uma pessoa tem de fazer uma vez na vida
Mas se assim é, não deve ser grande coisa
Eu cá, pessoalmente não gosto e não me atrai
Talvez um dia considere fazer
Mas não é assim coisa a curto-prazo
É mais uma actividade para planear com antecedência
Há uns, como eu, que não ligam muito a isso
Nem falam muito da coisa, parece que não tem mínima curiosidade
"Falecer? Que raio de coisa é essa? Epa, não quero agora talvez mais tarde"
E esperam até à reforma quando não tem nada para fazer
Alguns nem isso, passa um século e nada
Desdenham disso, recusam-se tanto, ate um dia que "pronto vá, está bem"
Mas depois há aqueles apressados
E é logo aos 20 ou antes disso até!
Ouvem alguém a dizer que há outro mundo e lá vão eles
Não gosto de pessoas impacientes assim
Não sei bem para onde eles vão todos, desaparecem de subito
Mas pensando bem, deve ser um sitio bem melhor que este
Pois com toda a arrogância nunca mais nos falam nem nos vêm visitar
Nem que fosse para contar como é lá
Deve ser só calor abrasador o ano todo, bronzeado e tequila
Pelos vistos é o que toda a gente gosta, nem se lembram de nos convidar
"Olha, gosto muito!","Não é tão giro como pensava", "É bastante agradável à sombra"
Nada. É total incógnito até que se chegue lá.
Prometo, assim que chegar lá, vejo como é, "volto já, vou só ali!" e venho aqui para vos contar como é.

No comments:

Post a Comment